• Marcelo Teixeira

Como vencer a batalha emocional da procrastinação

Atualizado: 11 de Mai de 2019

Gerencie suas emoções, não seu tempo.

A procrastinação é a ausência de progresso.


Todo mundo faz resoluções de ano novo. 


Mas apenas 8% das pessoas serão bem sucedidas.


E não sou eu que estou afirmando isso, quem afirma esses dados é a Universidade de Scranton na pensilvânia em uma pesquisa que é realizada todos anos.


Os outros 92% das pessoas serão pegas pela lacuna entre intenção e ação .


A procrastinação é a ilusão de uma vitória rápida, onde você compromete o sucesso a longo prazo para o prazer de curto prazo. 


Se você está lendo isso, você provavelmente passa muito tempo sonhando acordado e você não consegue se lançar.


A maioria das pessoas não conseguem superar a procrastinação, porque a tratam como um problema de produtividade, e elas esquecem que o verdadeiro campo de batalha está em sua mente e não em suas listas, cronogramas e métodos.


A procrastinação não tem nada a ver com o gerenciamento do tempo. 


Joseph Ferrari, um professor de psicologia da Universidade DePaul, explica: "Para dizer a um procrastinador crônico, apenas faça o que precisa ser feito,  seria como dizer a uma pessoa clinicamente deprimida, para se animar .”


Mas se você abordar a procrastinação como uma batalha emocional em vez de produtividade?


Por que não conseguimos nos lançar e fazer o que deve ser feito?


Todos nós procrastinamos e adiamos voluntariamente as atividades que queremos, apesar das consequências negativas.


Mas nem todo mundo sofre com isso.


Aproximadamente 80% dos estudantes e 25% dos adultos admitem serem procrastinadores crônicos, de acordo com o Laboratório de Atenção e Pesquisas de Boston (  Boston Attention and Learning Lab )


A procrastinação é uma ferida auto-infligida, nos sentimos bem agora à custa de objetivos de longo prazo. 


Não tem nada a ver com ser preguiçoso ou ter um problema de personalidade, mas sim a nossa dificuldade de vencer a batalha emocional em nossa mente.


Durante períodos de estresse, a procrastinação entra em ação como um mecanismo de enfrentamento sem esforço. 


No entanto, é tudo menos inofensivo.


O autor Tim Pychyl, do livro Resolvendo o Enigma da Procrastinação , explica: “Temos um cérebro que é selecionado por preferir uma recompensa imediata. A procrastinação é o eu presente dizendo que eu preferiria me sentir bem agora." 


De acordo com uma pesquisa da Universidade DePaul, nós procrastinamos quando nossos cérebros ficam sobrecarregados de emoções conflitantes. 


Nossos sentimentos assumem:


Medo do fracasso: nos preocupamos que o resultado não seja perfeito.

Impulsividade: nos distraímos com atividades mais agradáveis que surgem enquanto estamos prestes a fazer o que precisamos.

Negação: não gostamos de fazer certas coisas, então as "apagamos" da nossa mente. Rebeldia: quando nos sentimos forçados a fazer alguma coisa, nós apenas reagimos e resistimos.


Vários estudos mostraram que as emoções negativas promovem a procrastinação. 


As pessoas evitam fazer coisas, mais quando estão tristes ou aborrecidas e o prazer de qualquer distração ajuda a regular nossos sentimentos.


A procrastinação significa que não conseguimos administrar nossas emoções, e não o nosso tempo.


Procrastinação é um ciclo vicioso


"Apenas deixe para amanhã o que você está disposto a morrer tendo deixado de fazer."

Pablo Picasso


Quanto mais você falha em se lançar para fazer o que precisa ser feito, mais difícil se torna começar algo novo. 


Adiar continuamente fazendo algo, cria um ciclo vicioso.


Um dos primeiros estudos sobre a natureza prejudicial da procrastinação, acompanhou o desempenho acadêmico, o estresse e a saúde geral entre estudantes universitários durante um semestre.


Originalmente, os procrastinadores mostraram um nível mais baixo de estresse. 


No final da pesquisa, eles não somente ficaram mais estressados, como passaram a obter notas mais baixas.


Os verdadeiros procrastinadores não só terminaram o trabalho mais tarde, como também a qualidade de seus trabalhos passam a ser afetados.


“Assim, apesar dos defensores dos benefícios de curto prazo, a procrastinação não pode ser considerada como adaptativa ou inofensiva”, Concluíram os autores do estudo.


Deixar de lidar com nossas emoções nos causam mais danos e o estresse de começar algo, não é nada comparado ao resultado de evitar uma tarefa.


Um estudo da Universidade de Harvard mostrou que, quando as pessoas estão sonhando com algo agradável, só isso já as tornam felizes, quanto estar realmente na tarefa. 


O resto do tempo, a perambulação mental deixa as pessoas menos felizes do que quando estão trabalhando.


A batalha emocional afeta nosso relacionamento com o fazer. 


Nós não apenas procrastinamos o que gostamos, mas até mesmo as coisas que amamos. 


O ciclo vicioso nos faz odiar fazer qualquer coisa.


Sendo assim, precisamos então reformular nossa conexão emocional com o trabalho, e

isso requer mudar o nosso diálogo interior de "ter que" para "querer “.


Todos nós experimentamos emoções negativas e positivas todos os dia.


Culpa, auto-culpa, frustração, tristeza ou autopiedade, podem nos fazer sentir sobrecarregados. 


A regulação emocional  é ponto de partida para vencer a procrastinação.


Regulação emocional é a capacidade do indivíduo lidar com situações estressantes e desafiadoras de maneira saudável, sem deixar que elas causem prejuízos em sua vida, rotina ou relacionamentos.


Uma pesquisa realizada pela universidade de Carleton afirma que a procrastinação é um problema com a regulação emocional, onde ao invés de lidarmos com nossos sentimentos, evitamos fazer uma tarefa por causa do como nós iremos nos sentir. 


Isso se transforma em um processo autodestrutivo. 


Nossas emoções não vão fugir, nós apenas adicionamos mais estresse à medida que observamos que nossa lista de tarefas se acumulam.


A regulação emocional, para mim, é a história real em torno da procrastinação, porque na medida em que eu posso lidar com minhas emoções, posso continuar na tarefa independente o quanto difícil ela seja.


A verdade é que maioria das pessoas evitam enfrentar seus medos, ansiedade e frustrações, porém ao evitar, nos sentimos ainda pior.


No fundo, sabemos que a procrastinação não é um acidente, mas sim uma escolha pessoal.


Então, como podemos superar essa tensão emocional?


1º Comece a parar o jogo do jogo da culpa.


Para vencer a batalha mental, devemos aplicar estratégias focadas na emoção. 


A auto-estima por exemplo, constrói uma base forte que nós ajuda crescer e superar nossas falhas.


A falta de compaixão por nos mesmos, a falta de nos perdoar, nos deixa presos em uma ruminação contínua . 


Um estudo conduzido pelo professor da psicologia da Universidade Carleton, Tim Pychyl , mostrou que os estudantes que se perdoaram após terem procrastinados no primeiro exame, foram menos propensos a se atrasar para estudar para o segundo. 


Aqueles que não se perdoaram por terem esquecido, falharam em estudar novamente.


O auto perdão é um poderoso remédio para a procrastinação.


2º Não corra contra o vento


A autoconsciência é essencial para vencer a batalha emocional em sua cabeça.


Comece enfrentando o inimigo ao invés de ser duro consigo mesmo, afinal o estresse alimenta a procrastinação.


Então pergunte a si mesmo:


Por que estou evitando fazer alguma coisa? 


Por que eu odeio essa tarefa?


Digo isso porque Lutar contra suas emoções é como correr contra o vento.


Estar ciente do que você está pensando é "meta-consciência" e isso irá ajudá-lo a desenvolver uma abordagem reflexiva para a procrastinação. 


3º Em vez de evitar ou ampliar suas emoções, tente entendê-las.


O treinamento sistemático da regulação emocional, para tolerar e modificar repulsas emocionais , podem ajudá-lo a reduzir a procrastinação.


Desenvolver habilidades de Regulação Emocional  inclui:


  • Tornando-se consciente de suas emoções, identificando e domando suas emoções.


  • Entender o que desencadeia esses sentimentos.


  • Reconhecimento das emoções negativas e transformando-as em emoções positivas


  • Saber dar o auto suporte.


4º Praticar a atenção plena ao longo do dia, registro no diário , gratidão diária , exercícios de respiração ou meditação podem ajudá-lo a aumentar a autoconsciência


A chave é fazer uma pausa e refletir sobre as emoções que estão passando pelo seu caminho.


Como você está se sentindo?


Você está procrastinando porque tem medo de fracassar ou porque está sob pressão externa? 


O que está te segurando?


Aumentar a autoconsciência leva tempo. 


Passamos anos aperfeiçoando nosso ato de procrastinação, então seja paciente para desfazê-lo. 


5º Iniciando no agora


“Você não precisa ser ótimo para começar, mas precisa começar para ser ótimo.”  

Les Brown


A procrastinação é um problema de gestão das emoções, você deve reformular o modo como se envolve com seus sentimentos.


A pesquisadora e PhD Social / Psicologia da Saúde  Fuschia Sirois, da Bishop's University, acredita que a melhor maneira de reconstruir essa relação é encontrar algo que valha a pena na atividade ou tarefa, e para isso você tem que cavar um pouco mais e encontrar algum significado pessoal nessa sua atividade ou tarefa.


A autoconsciência é a chave, mas cuidado … muita introspecção pode te deixar preso.


Então … a melhor maneira de superar a procrastinação é iniciar no agora.


Abra esse livro. Escreva essa primeira palavra. Disque esse número. Faça a primeira pergunta. Comece a praticar.Cruze a linha. Corte as tarefas em tarefas menores. Crie prazos internos. Adquira suas prioridades. Comece com o que você odeia. Ou com o que você ama. Misture as coisas. 


Construa momentum.


Porque enfrentar suas emoções é fundamental para entrar em ação. 



138 visualizações

copyright (c) 2019 . todos os direitos reservados.